ARRAIA DO BERIMBAU 2022 BANNER 728X90 LOCAL 1

Após vencer batalha judicial contra Maiara e Maraisa por uso do nome 'As Patroas', banda baiana tem perfil suspenso em rede social

Pessoas que dizem ser fãs da dupla goiana afirmaram que fariam mutirão para denunciar perfil do grupo baiano como falso.

Por A Voz da Região em 18/06/2022 às 08:43:40

Banda 'A Patroa' tem conta de Instagram derrubada após ganhar ação judicial contra Maiara e Maraisa. - Foto: Redes sociais

A banda baiana 'A Patroa' teve o perfil no Instagram derrubado após vencer a decisão judicial que proíbe uso da marca 'As Patroas' por Maiara e Maraísa. A conta do grupo foi banida nesta sexta-feira (17), após ação coordenada de denúncias feita por pessoas que dizem fãs da dupla sertaneja.

A vocalista Daisy Soares contou ao g1 que a banda recebeu diversas ameaças e mensagens de ódio nas redes sociais. Em uma delas, uma mulher avisa que irá 'derrubar' o perfil.

"Vamos fazer um mutirão para banir a conta dela e mostrar quem é que manda aqui", escreveu a mulher.

Para Daisy, a suspensão do perfil é uma injustiça. Elas alegam que perderam a conta por terem menos visibilidade.

A cantora explicou que já entrou em contato com a rede social e mandou as provas necessárias para esclarecer que não é uma fraude da dupla sertaneja, mas sim uma outra banda.

A rede social enviou uma mensagem para a cantora informando que as informações serão analisadas e a conta poderá ser reestabelecida em 24 horas.

Para Daisy, toda a situação poderia ter sido evitada. Ela conta que a banda 'A Patroa' procurou a empresa que cuida da carreira das sertanejas quando soube que elas usariam a marca 'As Patroas', em 2020. Na época, o escritório afirmou que o nome seria usado em uma festa, e que por isso não haveriam problemas no registro.

Daisy também contou que dias antes de morrer em um acidente de avião, o advogado de Marília Mendonça entrou em contato com a banda para tentar um acordo. A artista teria tomado conhecimento da situação e ficado preocupada com o conflito de interesse do nome. Com a morte da cantora, o acordo não foi para a frente.

Mudança de nome de disco

Maiara e Maraisa mudaram o nome de um álbum que elas têm com Marília Mendonça. Antes, o nome era "Patroas 35%". Após Justiça da Bahia proibi-las de usar a marca, elas alteraram para "Festa das Patroas 35%". Em um post nas redes sociais, Maraisa compartilhou um print da nova marca.

Maiara e Maraisa alteram nome de álbum com Marília Mendonça — Foto: Montagem/g1

Maiara e Maraisa alteram nome de álbum com Marília Mendonça — Foto: Montagem/g1

Em nota, a assessoria da dupla informou que, em relação ao processo envolvendo a marca, o caso está sendo cuidado juridicamente da "melhor maneira". Além disso, a nota informou que "historicamente, as três artistas já escreveram seus nomes".


'As Patroas'

Marília, Maiara e Maraisa tinham lançado o projeto "As Patroas" em outubro e saíram em uma turnê em 2022 para contar a história da amizade entre elas, que teve início quando ainda se dedicavam apenas às composições. O sonho foi interrompido após um acidente de avião causar a morte da rainha da sofrência.

O álbum concorreu a premiação do Grammy Latino como Melhor Álbum de Música Sertaneja. Na época, logo após a morte da amiga, as irmãs decidiram não ir à premiação.

O projeto também ganhou destaque internacional e estampou um telão na Times Square, em Nova Iorque.

Proibição

Justiça da Bahia proíbe Maiara e Maraisa de usar a marca 'As Patroas' — Foto: Reprodução/Rds Sociais

Justiça da Bahia proíbe Maiara e Maraisa de usar a marca 'As Patroas' — Foto: Reprodução/Rds Sociais

A Justiça da Bahia proibiu as cantoras Maiara e Maraísa e o escritório WorkShow, que cuida da carreira das cantoras sertanejas, de usar a marca "A Patroa", seja no singular ou plural, em qualquer produto comercializado e publicidades físicas ou pela internet.

A decisão aconteceu após a cantora baiana Daisy Soares ter sido reconhecida como proprietária da marca. O juiz determinou o pagamento de uma multa no valor de R$ 100 mil em caso de descumprimento da decisão. A dupla e o escritório ganharam o prazo de 15 dias para se defender na Justiça.

Após a exposição da situação, Daisy disse que tem sido vítima de ataques na internet. Em entrevista ao g1 Bahia, na terça-feira (14), a artista relatou o que tem sofrido nos últimos dias.

"As mensagens privadas são as mais ofensivas. Tem xenofobia, me chamam de nordestina desgraçada, dizem 'tinha que ser do Nordeste' em um tom pejorativo, além de falarem para eu desistir desse nome e entregar a marca", disse ao g1.


Fonte: A Voz da Região / G1

Comunicar erro
TS EVENTOS BANNER 728X90 LOCAL 2

Comentários

ACEND BANNER 728X90